Notícias

Fisioterapia e o combate à COVID-19 na atenção domiciliar

Por 25 de maio de 2020maio 26th, 2020Sem comentários

COVID-19: Por ser uma doença que atinge diretamente o sistema respiratório, os fisioterapeutas vêm desempenhando um papel fundamental na linha de frente do combate à pandemia, seja em hospitais ou na atenção domiciliar. 

Isso porque eles são os profissionais da Equipe Multidisciplinar responsáveis por vários procedimentos que garantem a manutenção das vias aéreas e a prevenção e tratamento de pneumopatias.

FISIOTERAPEUTAS SÃO FUNDAMENTAIS NO ENFRENTAMENTO AO CORONAVÍRUS NA ATENÇÃO DOMICILIAR

“O tratamento fisioterapêutico do paciente com COVID é essencial pois é necessitado muito suporte ventilatório, assistência respiratória. Na assistência domiciliar, a importância desse profissional é também na prevenção da disseminação dessa doença, orientando as famílias para tentar minimizar os impactos a esses pacientes que já são parte dos grupos de risco”, afirma a fisioterapeuta Sandra Zimpel.

Listamos abaixo algumas das atuações dos fisioterapeutas na atenção domiciliar do Saúde & Suporte:

  • Promove redução de internação hospitalar;
  • Atua na prevenção e tratamento de pneumopatias;
  • Reduz imobilismo;
  • Reabilita funcionalidade;
  • Manutenção de vias aéreas pérvias;
  • Realiza avaliação, ajuste e monitorização de parâmetros ventilatórios e sinais vitais, remoção de secreções;
  • Melhora da qualidade de vida
  • Reintroduz o paciente no âmbito domiciliar

Medidas preventivas

Não foi só a Enfermagem que teve sua rotina alterada com a finalidade de conter a transmissão do novo coronavírus entre pacientes e equipe no home care. Os fisioterapeutas, seguindo nossos protocolos internos e recomendações do Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional (Crefito), vêm praticando:

  • Redução dos atendimentos presenciais;
  • Utilização do uso de EPIs: máscara n95, protetor facial (face shield), capote, propé;
  • Discussões acerca de aspectos éticos e legais relacionados ao atendimento do paciente com COVID-19, seguindo as recomendações oficiais da ASSOBRAFIR em 27/04/2020;
  • Participação em aulas online de capacitação para o manejo do paciente com COVID-19.

A fisioterapeuta Rafaela Vanderlei explica que a equipe parte da ideia de que é melhor considerar todos os pacientes suspeitos e agimos com prevenção redobrada. Entre os pacientes com via respiratória aberta – traqueostomia com o cuff e ventilação mecânica -, o cuidado dos fisioterapeutas é ainda maior.

“Por não existir uma vedação 100% pela cavidade oral, tomamos algumas medidas, como o uso de filtro bacteriológico e viral, para diminuir o risco de contaminação. Em relação à aspiração da secreção dos pacientes, que é outro procedimento de alto risco de contaminação, estamos realizando sempre com toda a paramentação que compõem os conceitos da biossegurança”, afirma Rafaela.

Em pacientes testados positivos para COVID-19, algumas das medidas incluem o não estímulo da tosse e a suspensão da nebulização para evitar uma aerossolização no ambiente. “Priorizamos procedimentos de reexpansão pulmonar com o próprio respirador, sem desconectar o paciente do respirador, entre outras soluções que a pandemia vem nos fazendo encontrar”, completa Rafaela.

Prevenção e conscientização

A atuação da fisioterapia, no sentido de prevenção do coronavírus, também inclui a atenção à prevenção de infecção pulmonar e outras pneumopatias. A equipe trabalha com orientações entre os familiares e técnicos de enfermagem sobre a importância do distanciamento social, do uso da máscara, da higienização das mãos, entre outros.

LEIA TAMBÉM

Enfermagem na linha de frente contra o coronavírus (COVID-19)

Atenção domiciliar: Os desafios da TI durante a pandemia

O papel do assistente social na atenção domiciliar