Notícias

A relevância da comunicação entre a família e o home care

Por 11 de novembro de 2020Sem comentários

Informação também é prevenção na assistência domiciliarEnfrentar doenças, sejam elas passageiras ou permanentes, não é uma missão fácil para os pacientes e seus familiares. Essa jornada, muitas vezes, é  acompanhada de ansiedades, medos e insegurança devido às incertezas do desfecho clínico. Por isso, entendemos que oferecer uma assistência à saúde com excelência requer uma comunicação de qualidade entre todos os envolvidos.

Para falarmos sobre a relevância da comunicação entre home care e famílias, é preciso entender primeiro o que é o ato de se comunicar.

O que é comunicação?

Comunicação é uma troca de informações entre um emissor e um receptor. Na assistência domiciliar, eles podem ser: familiares, pacientes, integrantes da equipe multiprofissional, fornecedores, operadoras de planos de saúde e outros que atuem em prol do tratamento do paciente.

O Núcleo Psicossocial do Saúde & Suporte, formado pelas assistentes sociais Mayara França e Emília Medeiros e pelo psicólogo Daivison Tavares, define uma boa comunicação como: objetiva, empática e sincera/transparente.

“Consideramos uma ferramenta de prevenção, onde a informação é a chave. Diálogos amenizam conflitos e aparam arestas”, afirma Mayara.

Ela aponta que em muitas visitas de rotina, as famílias sentem muita necessidade em serem ouvidas. “Existe uma sobrecarga entre os familiares que lidam com um ente querido doente e eles precisam ser ouvidos. Às vezes, antes de chegar ao paciente, passamos alguns minutos falando com os parentes”, destaca.

“A empatia é uma palavra em tendência, e devemos sempre praticá-la. Chegar em casa e cumprimentar o paciente faz parte do acolhimento e tem um grande peso no atendimento”, diz Mayara

Até o olhar e gestos comunicam

O psicólogo Daivison Tavares chama a atenção para dados importantes sobre a forma que nos comunicamos. Segundo ele, a comunicação verbal nem sempre é a mais importante em uma interação.

“Segundo pesquisas, o grau de relevância dos aspectos na comunicação são 7% a comunicação verbal, o tom de voz representa 38%, e os gestos e olhar 55%”.

6 princípios básicos para uma boa comunicação.

Daivison aponta que o ser humano é gregário por natureza e tem uma necessidade básica de se agrupar e se comunicar socialmente. Mas,  em se tratando de lidar com cuidados à saúde, é preciso lapidarmos essa habilidade de comunicação com técnicas e manejos. Confira abaixo os 6 princípios para uma boa comunicação:

  • Aprenda a falar bem –  As pessoas precisam entender o que você quer dizer, para que possam ouvi-lo e atenderem sua necessidade;
  • Saiba ouvir atentamente – Valorize a opinião de cada pessoa e mostre que se importa realmente com o que ela tem a dizer. Ouça atentamente;
  •  Conheça o receptor – Dedique um tempo para conhecer quem receberá a mensagem. Tenha empatia e coloque-se no lugar do outro;
  •  Nem tudo são palavras – Na verdade, a comunicação oral representa apenas 7% da composição comunicativa nos seres humanos;
  • Invista em uma comunicação objetiva –  Antes de começar a conversar com qualquer pessoa, você precisa ter em mente qual o resultado que este diálogo vai gerar;
  • Aceite críticas construtivas – Ninguém é perfeito e, partindo desse princípio, a forma como se comunica com as outras pessoas pode ter falhas. Então, não ignore feedbacks construtivos que os levam a ter uma boa comunicação.

A assistente social Emília Medeiros destaca que apesar de todos da Equipe Multi serem responsáveis por uma boa troca de informações entre clientes e empresa, o Núcleo Psicossocial vem desenvolvendo ações, a exemplo de fluxogramas para tratativas das demandas, que ajudam a melhorar essa comunicação.

“Ao  lidarmos com um problema, sempre nos perguntamos se podemos ajudar a resolvê-lo e a partir daí fazemos a escuta, mediação e delegamos aos setores responsáveis para agirmos em tempo hábil. Independente do desfecho, sempre damos um feedback à família solicitante da demanda”.

Núcleo Psicossocial do Saúde & Suporte Home Care

Núcleo Psicossocial do Saúde & Suporte Home Care

*O tema foi abordado pelo Núcleo Psicossocial durante a Semana da Qualidade 2020, promovida entre 09 e 13 de novembro, pela equipe de Gestão da Qualidade do Saúde & Suporte.